Skip to content

{ Author Archives }

OUVINDO DUKE ELLINGTON

Tagged

PINDORAMA BLUES

Tagged

O LEOPARDO – Lampedusa – Tradução­: Leonardo Codignoto – Editora Nova Cultural.

Giuseppe Tomasi di Lampedusa é um daqueles escritores de uma única obra… pertencente a uma família nobre (tornou-se o príncipe de Lampedusa) sua vida não foi só de conforto… combatente do exército italiano na primeira guerra mundial, foi preso e levado para o campo de prisioneiros de Szombathely, na Hungria, de onde escapou atravessando a Europa de volta à Itália…
“O Leopardo” é um romance histórico ambientado na Sicília na época da
unificação da Itália, na passagem da dinastia dos Bourbons para a dinastia dos Savóia.

Aqui vai uma passagem do livro:

“O príncipe havia tido muitos aborrecimentos naqueles últimos meses: tinham vindo de toda parte, como formigas ao assalto de uma lagartixa morta. Alguns haviam nascido nas fendas da situação política; outros haviam-lhe sido atirados para cima pelas paixões alheias, outros ainda (e eram os mais pungentes) haviam brotado de si mesmos, das suas reações irracionais perante a política e os caprichos do próximo (…) ; e todos os dias passava em revista estas preocupações, fazia-as manobrar, juntar-se em coluna ou dispor-se em fila na praça de armas de sua consciência, esperando vislumbrar nestas evoluções qualquer finalidade que pudesse tranquilizá-lo, mas não o conseguia. Nos anos anteriores, os aborrecimentos eram em número menor e, de certo modo, a estada em Donnafugata constituía um periodo de repouso; os desgostos baixavam o fuzil, dispersavam-se pelas anfractuosidades dos vales e aí ficavam tranquilamente entretidos a comer pão e queijo; de tal forma que era esquecida abelicosidade de seu uniforme e podiam ser tomados por pastores ofensivos. Pelo contrário, este ano, haviam ficados juntos e eram como tropas revoltadas que vociferassem, brandindo as armas: sentia o temor de um coronel que houvesse gritado “dispersar” e que visse depois o regimento mais cerrado e ameaçador do que nunca.”

Tagged

LEMBRAR DE ESQUECER

Tagged

PERAMBULE – Fabrício Corsaletti – Editora 34.

Mantendo a tradição dos bons cronistas brasileiros como Antônio Maria, Rubem Braga, etc… a maioria das crônicas eu já havia lido na extinta revista dominical da Folha de São Paulo… A imprensa escrita deveria voltar a publicá-lo, pois seus escritos fazem falta..

Tagged

HOMENAGEM A WALTER FRANCO

Nestes dias estou ouvindo novamente vários de seus discos e assistindo algumas de suas entrevistas… além de seu talento, o que impressiona é seu discurso articulado e bem-educado, coisa cada vez mais rara nos tempos atuais

Tagged ,

CONTRAPONTO

Tagged

HOMENAGEM À NOSSA PADROEIRA

Tagged

RUMBO AL MAR BLANCO (In Ballast to the White Sea) – Malcolm Lowry – Tradução para o espanhol: Ignacio Villaro – editora Malpaso

Em junho de 1944 a cabana que Malcolm Lowry vivia com sua segunda esposa Margerie Bonner, na Colúmbia Britânica (Canadá) pegou fogo… sua esposa conseguiu salvar os manuscritos de sua mais famosa obra, “A Sombra do Vulcão” (Under the Volcano), mas não deu para salvar o manuscrito com cerca de mil folhas de “In Ballast to the White Sea” que ele estava escrevendo desde 1931. Porém foi descoberta em 1988, a existência de uma versão incompleta desta obra, que Lowry deixara com sua primeira esposa Jan Gabrial em 1936…
Nesta versão com 383 páginas, embora apresente um desfecho, a parte final é tratada de um forma esquemática… mas podemos observar o estilo de Lowry em um romance marinho (embora as citações a Melville sejam frequentes, os personagens parecem ter as inquietações dos personagens de Conrad)… para quem nunca leu nada dele eu recomendo ler antes “A Sombra do Vulcão”, mas quem já tiver lido e apreciado o romance ambientado no México, “In Ballast to the White Sea” é uma boa pedida… (existe uma edição portuguesa “Rumo ao Mar Branco” que pode ser encomendada nas melhores livrarias).

Tagged

Culinária do litoral norte de Santa Catarina: Camarões a milanesa e tainha na brasa (restaurante Portela – Santo Antônio do Sul), Anchovas na brasa (Casa da Anchova -Itapoá) e Cavala assada e arroz com cúrcuma e Camarões (feito pelo meu cunhado Zeco) … cada coisa melhor que a outra!!!

Tagged ,