Skip to content

{ Monthly Archives } February 2002

O ORGULHO DE UM SAMBISTA

Rinaldo Ribas Ribeiro , auto-intitulado o último dos sambistas clássicos , possuia uma excelente memória e sendo um profundo conhecedor de sambas antigos , conseguia sempre se sair bem nas discussões amorosas , utilizando frases retiradas de músicas alheias …

No morro da Formiga deixou Fátima sem resposta ao dizer : “Mas se eu for condenado , a sua consciência será meu advogado” (1) , no Estácio repreendeu Estela com a frase : “Seu egoísmo me libertou” (2) e na Vila Isabel humilhou Raquel com : “Se eu lhe perdoar , fará depois pior” (3) .

Porém , em um crepúsculo abafado pelo calor úmido , ao procurar uma mesa no tradicional bar da Maria , na R. Anita Garibaldi ( bairro da Muda ) , encontrou uma dama solitária trajando um vestido de seda vermelho com estampas negras …

O nosso protagonista , pedindo licença , sentou-se ao lado da criatura exótica perguntando se ela não desejava beber algo . Esta respondeu : “- Só tomava chá …quase que forçada vou tomar café” .

O ilustre sambista , achou aquela resposta meio estranha , porém providenciou uma xícara de café para aquela beldade e um cálice de vermute tinto para si . Após o segundo gole , Rinaldo ia fazer uma pergunta qualquer quando ela interrompeu-o dizendo : “- Quisera ter a coragem de dizer , que é bem grande o meu amor , mas não sei o que acontece , minha voz desaparece quando ao seu lado estou” . Ele confuso , tentou lembrar-se de algum fragmento de Noel Rosa ou Wilson Batista , porém antes que se decidisse ela emendou : “- Tanto amor perfeito existe no meu peito eu vou lhe dar agora e pra começo de assunto chega mais pra junto vem comigo que eu quero é cantar”.

Ribas Ribeiro , perplexo com aquelas frases , por fim perguntou : “- Mas afinal quem é você ?” . A dama exótica sorrindo respondeu : “- Sou a garota papo-firme que o Roberto falou …”. (4)

(1) Fragmento de “Errei Erramos”( Ataulfo Alves / Arthur Alves Jr )

(2) Fragmento de “A Fonte Secou” ( Monsueto de Meneses / Tufi Lauar / Marcléo )

(3) Fragmento de “Acabou a Sopa” ( Geraldo Pereira / Augusto Garcez )

(4) As frases pronunciadas pela dama exótica sào provenientes das músicas “Comunicação” ( interrpretada por Vanusa ) , “Te amo”( interpreteda por Wanderléia ) , “Prá começo de assunto” ( interpretada por Elizabeth ) e “Garota papo-firme ( interpretada por Waldirene ) .

Tagged

O ULISSES MEDIOCRIZADO PELO FUNCIONALISMO PÚBLICO

Em virtude da crônica que escrevi em 31/08/2001 neste blog sobre Lucio Cardim ( para quem não sabe foi o autor da famosa canção “Matriz ou Filial” ) , recebi dias atrás , enviado pelo filho do supracitado compositor , um pacote com um CD e uma carta que fazia algumas correções em meu artigo informando que Lucio Cardim lançou um LP com sua face estampada na capa ( ao contrário do informado em meu artigo que afirmava que uma das frustrações do artista era nunca ter tido um disco com o seu semblante ) .

Vou justificar meu erro … uma noite assistindo o programa “Ensaio” na TV Cultura , no qual o tema era o retro-mencionado autor , começei a anotar fragmentos de canções e trechos da entrevista ( um destes mencionava a tristeza de não ter a face em uma capa de LP ) . Dias depois juntando estes fragmentos , compus a crônica , sem perceber que tal programa for a gravado quase uma década antes do falecimanto do compositor , e que no período posterior a entrevista ele conseguiu realizar seu desejo …

O CD que recebi é uma reprodução de uma fita cassete gravada em 1975 pelo próprio autor . Quem desejar adquirir esta gravação rara , pode entrar em contato com a família de Lucio Cardim através do e-mail paulo_cardim@terra.com.br .

E aqui vai um fragmento de uma de suas mais belas canções :

RESSACA

” Hoje cedo ,

as três horas da tarde

acordei de ressaca

com a alma vazia e a cabeça bem fraca

no lugar do café e bebi solidão

( … )

É uma pena

que os copos de ontem fossem feitos de vidro

ao contrário do whisky eu teria bebido .

a pessoa que vive no meu coração”

( Lucio Cardim )

LUAR DO SERTÃO

Citação do dia : “Um grande filme ? MÚSICA , pelo cristal das almas que se entrechocam ou se procuram pela harmonia dos giros visuais , pela própria qualidade dos silêncios ; PINTURA E ESCULTURA , pela composição ; ARQUITETURA , pela construção e ordenação ; POESIA , pelos eflúvios do sonho que se evolam da alma dos seres e das coisas ; e DANÇA . pelo ritmo interior que se transmite à alma e a faz libertar-se e enredar-se com os atores do drama .”

( ABEL GANCE )

CARNAVAL 2002

O SÉTIMO ASSALTO

Soou o gongo anunciando o final do sexto round … e Moacyr Cosme caminhou em direção ao seu coorner preferindo ficar em pé , uma vez que achava que tal procedimento humilhava moralmente o adversário , que sentado no canto oposto do ringue recebia curativos e advertências da sua equipe .

Ele a conhecera na rodoviária de Teófilo Otoni , e encantado com seus cabelos encaracolados ofereceu um misto quente com presunto acizentado e um suco de caju … e assim começou seu romance .

A luta valia pela unificação do título mundial dos médios ligeiros e o nosso protagonista , apelidado de “Carlos Monzón da Mooca” levava certa sobre seu adversário argentino Diego Goyneche , o “Éder Jofre de Entre-rios”.

Depois da chegada a capital paulista , moraram separados por cerca de quatro meses , mantendo um relacionamento intenso . Porém a necessidade de constituirem um lar fez que fossem morar juntos no bairro da Mooca , uma vez que lá Moacyr passara a infância antes que seus pais mudassem para a região das alterosas . Nosso amigo sempre evitava marcar a data do casamento , conseguindo adiar por três anos a decisão do enlace .

Moacyr ouve as instruções de seu técnico , que referem-se a usar o jogo de pernas no início do próximo assalto , rodando em redor do oponente e aplicando alguns golpes no fígado para tirar a mobilidade , para então tentar um direto ou mesmo um gancho derradeiro .

Um dia Danideise , sua companheira ameaçou : – Se não casarmos até sete de setembro , eu pego as minhas coisas e volto para Minas Gerais . Pela primeira ele teve que assistir o desfile da independência sozinho … ação que repetiu por vários anos .

O assistente passa um pouco de vaselina em seus supercílios , que embora um pouco vermelhos , não apresentam cortes . O “Carlos Monzón da Mooca” respira sem dificuldade enquanto recoloca seu protetor bucal .

No dia anterior , nosso protagonista recebeu através de uma ligação a cobrar da rodoviária de Teófilo Otoni , a agradável informação que sua ex-companheira estava embarcando para São Paulo … com a família !!!

O juiz anuncia : – Segundos fora (*) !!! .

(*) Expressão que os juízes de boxe utilizam para advertir os pugilistas que faltam cinco segundos para reiniciar o combate .

Tagged ,

MORA NA FILOSOFIA

Citação do dia : “Somos concretistas . As idéias tomam conta , reagem , queimam gente nas praças públicas . Suprimamos as idéias e as outras paralisias . Pelos roteiros . Acreditar nos sinais , acreditar nos instrumentos e nas estrelas.”

( Oswald de Andrade )

NAVEGAIRE DE NOVO

Pedro Antônio Almada Pessoa nasceu em Sintra , no dia em que completou sete anos de idade , subiu até o topo do farol do Cabo da Roca (*) e contemplando o oceano azul-esverdeado , jurou que iria ser marinheiro , o que logo foi cumprido na juventude , quando ingressou na marinha mercante portuguesa .

O nosso protagonista percorreu os locais mais recônditos do planeta , porém foi em Santos que seu destino o surprendeu . Pedro Antônio percorrendo a zona de meretríco daquela cidade , notou uma mulher que possuia traços finos ( embora tivesse o semblante corroído pelo remorso ) , que diante de seu atento olhar , parecia que não pertencera sempre a aquela classe …Ao conversar com a dama descobriu sua triste estória : nascida no Panamá e educada no Brasil por uma famíla relativamente abastada , entrara na prostituição devido a choque emocional surgido com a descoberta que seu ex-namorado se suicidara atirando-se do bondinho de Mont-Serrat .

Almada Pessoa achou aquele relato estarrecedor e sem saber o que fazer , pediu a mão dela em casamento . Por coincidência no rádio do bar estava tocando “Eu vou tirar você deste lugar” ( Odair José ) .

No retorno a Portugal , Pedro Antônio desligou-se da marinha , mandou dinheiro para que Felícia Fangal ( o nome de sua futura esposa ) comprasse as passagens , pois tinha planos para montar uma lavanderia na cidade de Setúbal . A nossa protagonista rumou para sua nova pátria , casando-se logo em seguida , porém por fatores diversos o casal veio estabelecer um restaurante de cozinha mineira em Sezimbra .

A casa fez enorme sucesso , uma vez que servia de contraponto aos outros restaurantes que serviam basicamente peixes e frutos do mar . Porém em meio a tutus-de feijão e leitões a pururuca , regados a doses de ginginha e de bagaçeira , começaram a surgir os conflitos emocionais , sendo que nenhum dos dois sabia o motivo verdadeiro que estaria a causar os soluços constantes e choramingos diários da senhora Fangal Pessoa .

Embora ignorado por ambos , a causa do comportamento de nossa protagonista deveria ser algo bem grave , uma vez que no exato dia em que completara quarenta anos Pedro Antônio , retornando da capital ( onde fora passar o dia cuidando de negócios ) encontrou apenas restos de incêndio no local que fora seu restaurante . Ao penetrar pelos destroços perguntando pela esposa , foi informado pelos vizinhos que Felícia partira com destino ignorado após por fogo no próprio estabelecimento comercial . A única coisa restante que o nosso amigo encontrou , foi um recorte de jornal milagrosamente intacto , no qual havia uma reportagem com fotos sobre a descoberta de um tesouro marinho na costa venezuelana , realizada por um brasileiro .

O sr. Almada Pessoa atualmente passa os dias a percorrer as regiões portuárias de várias cidades lusitanas com um cartaz solicitando uma oportunidade de voltar a conduzir navios pelos verdes mares bravios .

(*) O local mais a oeste do continente europeu .

Tagged