Skip to content

{ Monthly Archives } April 2002

ISTO É BRASIL

Caminhado pela mata atlântica , junto a cachoeira de Jeribucaçu ( município de Itacaré , Bahia ) avistei uma ruína de uma pequenina usina hidrelétrica . Adentrei o local e vi que a placa de inauguração datada o ano de 1942 . Naquele momento , percebi que contemplava um espelho do Brasil : uma belíssima ruína da era Vargas !!!

Citação do dia : “O inferno é uma estreita , negra e sórdida prisão fétida , uma habitação de demônios e de almas perdidas (…) A estreiteza dessa casa de prisão é expressamente designada por Deus para punirem aqueles que se recusaram a se limitarem às Suas leis . (…) e os condenados estão tão extremamente apertados e desamparados que , como um abençoado santo , Santo Anselmo , escreve em seu livro sobre Similitudes , estão incapacitados até de tirar do olho um verme que o atormente .

(…) O horror desta estreita e negra prisão é aumentado por seu tremendo cheiro ativo.Toda a imundície do mundo , todos os monturos e escórias do mundo , nos é dito , correrão para lá como para um vasto e fumegante esgoto quando a terrível conflagração do último dia houver purgado o mundo ” .

( James Joyce )

Comentário : Esta descrição do inferno , realizada por um personagem do livro “Retrato de um artista enquanto jovem” , se parece muito com certas favelas e cortiços de Pindorama …chega da visão de pobreza romantizada pela música “Ave Maria no Morro” de Herivelto Martins e pelas instalações de Hélio Oiticica … Apesar de respeitar , e muito , a obra dos artistas retro-mencionados acho que a realidade destes lugares limite é bem menos bonita do que eles tentam pintar …

A CRIANCINHA VAMPIRA

Local : barraca de côco em praia deserta do litoral brasileiro .

Personagens : eu , o dono do estabelecimanto e uma mulher que cuidava de algumas crianças que brincavam ao redor .

Cena : o proprietário se gabando das vantagens de morar sozinho : – ” E então , eu chego em casa tranqüilo e prepero meu café preto . ”

Uma criança com cerca de seis anos , banguela devido a troca de dentição , com dois caninos protuberantes , enfim uma vampirinha , exclama para a surpresa geral : – ” Mas existe café branco ??? ”

Silêncio geral … todos olham para a pequenina , como se esta fosse um filósofo pré-socrático em miniatura .

TRISTES BOLEROS TROPICAIS

Era um casal estranho , pois ambos possuiam obcessões totalmente diversas : ela , Joelma Janete era fanática por alpinismo ( tanto no sentido esportivo quanto no social ) , enquanto ele , Boris Barrios , era fixado na história das Copas de Mundo de Futebol . Nossa protagonista , oriunda dos cortiços do bairro de Bela Vista , adorava subir montanhas , era destemida e jamais olhava para baixo , nem quando chegava ao topo de uma montanha , o que deixava os colegas de escaladas abismados “– Mas como ??? Você chegou até aqui …veja que vista linda …” costumavam dizer . Ela simplesmente lançava um olhar de desdém sorridente enquanto dizia , sem que os outros suspeitassem que seu gesto provinha de suas considerações sobre a sociedade de classes : “- Desculpe , mas não interessa …” .

Nosso protagonista , oriundo de uma família milionária de Acapulco , não torcia por time algum , tanto em solo brasileiro , quanto em sua pátria natal ( México ) , porém interessava-se em demasia em tudo o que fosse referente ao torneio quadrienal que reúne as principais seleções . Tal predileção originava-se provavelmente nas teorias sobre o individual ( representado pelas equipes tradicionais ) e o coletivo ( retratado pelos escretes nacionais ) que tanto o encantavam . Nas conversas sobre futebol , gostava de falar em seu português , quase sem sotaque : – ” Não me interessa saber sobre a atual zaga do Santos, os zagueiros alemães em 1974 eram Breitner e Vogts ; nem sei quem são os volantes do Palmeiras , mas na esquadra azzura em 1982 jogaram Oriali e Gentile ; os laterais do Corinthians : ignoro , porém no selecionado argentino de 1978 atuaram Olguin e Tarantini ; o ataque do São Paulo ? … o do escrete canarinho em 1970 , era Jairzinho , Rivelino e Tostão , se bem que o Paulo César Caju também jogou …” .

O que este casal tinha em comum ??? O gosto pelos boleros , gênero musical da terra de Boris Barrios e muito tocado nos cortiços em que Joelma Janete passara a infância .

O casamento não se consumou . Um dia o nosso amigo mexicano ficou muito comovido com a estória de uma ruiva , que parou de ter interesse pela espécie humana , pois se decepcionara com o jogo que o selecionado peruano resolveu entregar o ouro e a prata ( o bronze ganhamos ) , naquela copa que aconteceu do outro lado do Rio da Prata . Era uma triste estória … além do mais ela dançava boleros com maior desenvoltura e cantava “Sabor a Mi” do princípio ao fim …

Tagged

SOBRE BLOGS

Terça passada fiquei muito contente de ver este site/blog citado no Lu 3 , principalmente tendo como “vizinho” o ilustre Oscar Satio Oiwa , , que estudou junto comigo na faculdade . Este blog divulga os principais eventos artísticos da cidade paulistana e possui conexões com os outros blogs que tem algo a dizer , sendo entre estes , os já citados aqui Dudi Maia Rosa e Liaisons do Alexandre Villares , o já famoso TOM-B , o URRÚ e o KÁTIA ALTA :: kátia baixa .

Ainda sobre o blog Lu 3 , achei legal que embaixo de cada artigo tem um lugar para você opinar … super chique !!!

SOBRE A BIENAL

Sempre tem um monte de engôdos , mas também tem grandes artistas …entre os destaques o venezuelano Carlos Cruz-Diez , com suas salas de cor ( Cromo-sarturación ) , o libanês Nabil Nahas , com suas ‘esponjas’ luminosas , o alemão Franz Ackermann , com pinturas pop fragmentárias e o russo Alexander Brodsky , com sua cidade em miniatura dentro de carrinhos ( de lixo? ) enferrujados . Também apreciei o trabalho geométrico-cromático da norte-americana Sarah Morris ; a instalação cinematográfica do finlandês Seppo Renvall que entende de cinema , ao contrário de muitos artistas que se metem a fazer video/cine-instalações ; a instalação Japanese Zebra Crossing em que o nipônico Tabaimo brinca com a linguagem dos pictogramas dos focos de semáforos para pedestres ( o filósofo Vilém Flusser já falava sobre o triunfo da comunicação não alfabética ) e da norte-americana Kara Walker , onde os recortes claro-escuros sobre ambiente circular lembram aquelas antigas máquinas de cinema .

Mais uma coisa : a Bienal tem que ter núcleo histórico pois este negócio de só mostrar o contemporâneo só funciona na europa que tem grandes museus e países pequenos (em extensão ) ..no terceiro mundo as Bienais possuem a missão didática . Vale lembrar que só há uns três ou quatro anos que o primeiro “Caravaggio” cruzou o hemisfério Sul …e assim mesmo era um Caravaggio menos pretencioso , vindo de um museu norte-americano …

Citação do dia : “Os espelhos são de uma discrição fabulosa e não nos contam nada , de manhã , quando lhes perguntamos as coisas . Mas , quem sabe de nós é o retrato 3/4 da carteira de identidade . Toma o teu , espia bastante para ele , amigo , e verás que horas são , nos teus cabelos , na preguiça dos teus olhos e no corte vincado da tua boca .”

( Antônio Maria )

SERÁ QUE EU VOU VIRAR BOLOR ???

Tobias Toscano era um ser humano , cujas observações agudas e contundentes a respeito do comportamento humano poderiam até confundi-lo com um filósofo estruturalista ou coisa parecida, porém seu cafajestismo arrogantemente boçal e sua concepção exageradamente superticiosa da realidade , iriam traí-lo se algum dia pretendesse passar por pensador …

Nosso protagonista , proprietário de uma pizzaria de entregas no bairro do Paraíso , adorava expor suas teorias e estórias do passado para as pessoas que ligavam para seu estabelecimento denominado Ridi Pagliaci Pizza Express . Falava sempre da época em que avenida 23 de maio não havia sido construída : “…era tudo de terra , no outro lado só havia a mercearia do seu Vitorino e do lado de cá , uma escolinha infantil chamada esquilo ou castor , não lembro …” . Dizia também que o bairro agora iria melhorar , uma vez que demoliram aquela construção em forma de caravela , que havia sido construída no terreno do seu Joaquim , antigo morador , que plantava pinheirinhos para vende-los na época do natal … aquele tipo de embarcação , segundo ele : “é um símbolo do azar , tanto que bastou demolirem aquele barco maligno , para logo construirem um hotel cinco estrelas no lugar … tá vendo ? Não é coincidência não … aquilo não era navio-fantasma … era caravela-assombração …’’ .

Um dos passatempos de Tobias era caminhar pela manhã chutando pedras . Gostava partircularmente , quando avistava uma beldade mais ou menos distante , para “bater de trivela” em alguma pedrinha , para que esta atingisse levemente os pés da dama , que jamais desconfiava da sua intenção , pois ele sempre se mantinha caminhado cabisbaixo assobiando alguma cantiga . A simpatia eloqüente do artilheiro-de-calçada , fazia com que os seus pedidos desculpas terminassem sempre embaixo de lençóis macios …

Porém um dia ele não contou com a astúcia de Jacqueline Jasmim , uma atriz muito espirituosa que havia caído em um golpe semelhante em uma tarde em que caminhava pela calle Alameda , em Madrid ( perto do Museu do Prado ) … A nossa protagonista , ( que já havia avistado o futepedrista idiotizado com uma dúzia conquistas ) ao sentir o petardo atingir sus belos pés , começou a simular choro …quando Tobias Toscano se aproximou salivando , ela arrematou : – Meu Deus !!! Você atingiu uma mulher grávida – era mentira – No dia em que meu filho completar sete anos , você vai se transformar em bolor !!! A não ser que nasça menina .

– Onde foi que você viu esta besteira ? – Indagou nosso amigo , pensando que a fonte seria uma destas fúteis revistas femininas .

– Em algum livro do Luis Câmara Cascudo , não lembro qual , mas sei que li – respondeu a dama ( na verdade ela nunca lera nada daquele autor , mas sabia que ele publicara um livro sobre o tema … ) .

A partir daquele encontro , ele jamais se recuperou … passa as manhãs sentado em um banquinho , pensando sobre o título deste conto .

Tagged