Skip to content

{ Monthly Archives } December 2002

Citação do dia :

“O corpo é espiritual. O espírito nem sempre.

( Antônio Maria )

Citação do dia :

“NÁUFRAGO ATÓNITO

Por la costa internándo-se Odiseo,

Náufrago así, desnudo,

Oteó unas doncellas.

Y corrieron. Inmóvil y radiante.

Una sola se erguía. Qué estupor!

Mal cubierto con hojas habló el náufrago,

Voz ferviente, mirada embelesada.

‘Quién eres, oh, bellíssima

De tan cándidos brazos? Una diosa

Descendida a una tierra de mortales,

O si sólo mujer,

A la par de los dioses?

Felices sean quienes te engendraron.

Mi ojos nunca vieron tal belleza,

Digna de Artemis, hija del grande Zeus.

Una vez más

Me senti conmovido como ahora.

En Delos fue. Junto al altar de Apolo

Vi un arbusto de palma tan feliz

Y esbelto que tembló mi corazon.

Perdóname que llegue así, desnudo.’

Sonrió la mujer de brazos cándidos.

‘Forastero, quien seas…’ Sonreía,

Señoril, luminosa Nausicaa!” (*)

(*)NÁUFRAGO ATÔNITO

Pela costa internando-se, Odisseu,

Náufrago, todo nu,

Deu com umas donzelas,

Que correram. Imóvel e radiante,

Uma única se erguía. Uma só. Pasmo,

Malcoberto com folhas, disse o náufrago,

Voz fervente, mirando deslumbrado:

“Belíssima, quem és, beleza pura

De branquíssimos braços? Uma deusa

Que desceu a esta terra de mortais?

Ou apenas mulher,

Mas similar aos deuses?

Felizes os teus pais, que te engendraram!

Beleza tal, meus olhos nunca viram,

Digna de Ártemis, filha de Zeus grande.

Uma só vez, uma única,

Me senti comovido como agora.

Foi em Delos, aos pés do altar de Apolo.

Vi uma palmeira, tão gentil, tão grácil,

Que o coração tremeu-me ante suas palmas.

Perdoa-me que chegue, assim, desnudo.”

A bela, braços-cândidos, sorriu:

“Forasteiro, quem sejas…”E sorría,

Luminescente, senhorial , -Nausicaa!

( Jorge Guillén – Tradução Haroldo de Campos )

O DESTINO É O DESTINO .

Helga Gabrielle , foi como de costume almoçar na praça de alimentação de um shopping famoso , uma vez que detestava os restaurantes por quilo que ficavam perto de seu escritório . Na verdade ela não gostava era da conversa das colegas secretárias , que se auto intitulavam “as administrativas”. Uma vez ouvindo uma delas dizer : -“Nós as administrativas , não devemos …” pensou : -‘Nós não !!! Nós não!!! Eu não sou assim … eu não sou medíocre como elas !!!” … então para poder ficar sozinha na sagrada hora da refeição , ela afirmava que não gostava da comida do restaurante por quilo que as administrativas iam …

Não era só o local do almoço que era sempre o mesmo , o cardápio também não variava : frango grelhado com legumes , para beber , água sem gás … não que a nossa protagonista tivesse obsessão por emagrecer ( como a maiorias das mulheres de hoje em dia ) , mas devido a uma séria desilusão amorosa , preferia viver uma vida sem sabores…

O almoço transcorria normalmente até que Helga arrepiou-se ao ouvir uma melodia conhecida : era “Polka Dots and Moonbeams” (*) , que seu falecido namorado costumava ouvir na interpretação de Bud Powell … estava sendo tocada no piano elétrico da praça de alimentação , por um jovem de cabelos castanhos que não terminou a canção antes que dois diamantes líqüidos e salgados ( vulgarmente conhecidos como lágrimas ) rolassem pela tremulante face dela …

Sete dias depois , enquanto aguardava a sessão de cinema em outro shopping , a nossa amiga reparou que o mesmo jovem estava tocando no saguão entre as mesas dos restaurantes … sem hesitar ela sentou em uma mesa bem próxima ao palquinho e pediu uma taça de vinho tinto … Na segunda taça , o pianista de cabelos castanhos fechou a apresentação com chave-de-ouro : a canção que tanto enternecia Helga Gabriele …

Reparando nas lágrimas , Duda Noel , o músico , perguntou se poderia sentar-se … ela repondeu com um sorriso … era o início de algo mais sério , mas muito mais sério mesmo , tanto que ela só foi entender tudo , quando reparou que o disco de vinil do Bud Powell com a faixa supracitada , que Duda tinha em seu apartamento , possuia uma dedicatória escrita a caneta esfereográfica : “De Helga para Dorval !!!” Ou seja era o Lp que ela havia presenteado seu falecido namorado , que foi parar em um sebo , e de lá foi para a coleção de discos do Duda Noel … ela reparou também no título do CD independente que o pianista estava lançando : “As Pessoas Vão … As Canções Ficam”.

(*) ( Burke – Van Heusen )

Tagged

(…) Dê um picolé de tamarindo neste natal. Se dê neste natal. Não envie cartões com aquelas paisagens horrorosas com boizinhos, camelozinhos, codeirinhos, papaizinhos noelinhos, os três maguinhos. Eu, se fosse você, daria um cartão de Natal com o que você sabe curtir, desenhar, com as suas palavras mesmo que podem até ser bonitas demais . Ninguém tem. (…) Presenteie seu corpo com o sol. Cante Roberto Carlos. Dois e dois é muito mais bonito que quatro Jingle Bells juntos. Noite feliz ainda se curte. Outros sons natalinos : as Bachiannas de Villa-Lobos, Ravi Shankar, você pode escutar na tarde do dia de Natal.E Jesus Cristo de Rei Roberto, é claro. (…)

( Torquato Neto )

Citação do dia :

ÍTACA

Quando , de volta , viajares para Ítaca

roga que tua rota seja longa,

repleta de peripécias, repleta de conhecimentos.

Aos Lestrigões, aos Cíclopes,

ao colério Posêidon, não temas:

tais prodígios jamais encontrará em teu roteiro,

se mantiveres altivo o pensamento e seleta

a emoção que tocar teu alento e teu corpo.

Nem Lestrigões nem Cíclopes,

nem o áspero Posêidon encontrarás,

se não os tiveres imbuído em teu espírito,

se teu espírito não os sucitar diante de si.

Roga que sua rota seja longa,

que, mútiplas se sucedam as manhãs de verão.

Com que euforia, com que júbilo extremo

entrarás, pela primeira vez num porto ignoto!

Faze escala nos empórios fenícios

para arrematar mercadorias belas;

madrepérolas e corais, âmbares e ébanos

e voluptosas essências aromáticas, várias,

tantas essências, tantos arômatas, quantos puderes achar.

Detém-te nas cidades do Egito -nas muitas cidades-

para aprenderes coisas e mais coisas com os sapientes zelosos.

Todo tempo em teu íntimo Ítaca estará presente.

Tua sina te assina esse destino,

mas não busques apressar sua viagem.

É bom que ela tenha uma crônica longa duradoura,

que aportes velho, finalmente à ilha,

rico do muito que ganhares no decurso do caminho,

sem esperares de Ítaca riquezas.

Ítaca te deu essa beleza de viagem.

Sem ela não a terias empreendido.

Nada mais precisa dar-te.

Se te parece pobre, Ítaca não te iludiu.

Agora tão sábio, tão plenamente vivido,

bem compreenderás o sentido das Ítacas.

( Konstantinos Kaváfis – Tradução : Haroldo de Campos )

PENÉLOPE A OUVIR FADOS

Citação do dia :

NENHUMA ESTRELA CAIU

A Manoel de Oliveira

Janelas que me separam

Do vento frio da tarde

Num recanto de silêncio

Onde os gestos do pensar

São as traves duma ponte

Que não paro de lançar

Venha a noite e o seu recado

Sua negra natureza

Talvez a lua não falte

Ou venha a chuve de estrelas

Basta que o sono desperte

O sonho que deixa vê-las

Abro as janelas por fim

E o frio vento se esquece

Nenhuma estrela caiu

Nem a lua me ajudou

Mas a ruiva madrugada

Por trás da ponte aparece .

( José Saramago )

Citação do dia :

“Todos os homens precisam de ajuda dos deuses eternos .”

( Homero – Odisséia , verso 48 do Canto III )

A FACE DA FADA FACEIRA

Encontrei este desenho em um caderno de viagens que fiz quando fui para a Europa , não lembro quando foi feito , provavelmente na viagem de navio da França para Irlanda , ou em Amsterdam …sei lá …