Skip to content

{ Monthly Archives } March 2003

GERALDOS SAMBISTAS

No embalo do filme Durval Discos , estão montando uma feira de discos de vinil no Conjunto Nacional , fui lá ontem e voltei com três bolachões : “Geraldo Filme” , “Histórias e Pensamentos” de Odair José e “’Til Tomorrow Comes” de Raul de Souza … o último , gravado nos Estados Unidos mostra uma fase em que o trombonista fazia o que hoje é denominada black music … muito bom …o antepenúltimo , embora não sendo uma das melhores obras na discografia do cantor goiano , traz pérolas como “Eu Chorei (O Parto)” … o primeiro é o testamento de um brilhante sambista paulistano , que recentemente teve um samba regravado por Itamar Assumpção : “Vá Cuidar de Sua Vida” … Fico pensando nos meus charás sambistas : Geraldo Pereira na Lapa ( a carioca , é claro ) e Geraldo Filme no Bexiga … os Geraldos que ajudaram a construir a história do samba …

Ah , sobre o filme ( não o Geraldo , mas o Durval ) , é brilhante , só o plano-seqüência da abertura já é uma aula de cinema …

O MILONGUEIRO DE BELGRANO PAULISTA

A citação de hoje é um trecho de “Petesburgo” de Andrei Bieli ( editora Ars Poetica ) , livro que o escritor Nabokov considerava “uma das quatro obras primas da prosa no século XX” , junto com “Ulisses” de James Joyce , “Metamorfose”de Franz Kafka e “Em Busca do Tempo Perdido” de Marcel Proust. Uma pequena explicação : Nevski e Neva são respectivamente a avenida principal e o rio que banha São Petesburgo .

“Todos os ombros formavam um sedimento viscoso e mole. O ombro de Alexander Ivanovich grudou-se no sedimento e foi, por assim dizer, sugado. Tentando manter-se de acordo com as leis da integridade orgânica do corpo, ele seguiu o ombro e foi assim vomitado na Nevski.

O que é um grão de caviar?

Lá, o corpo de cada indivíduo que desliza no calçamento torna-se o grão de um corpo geral, um grão individual de caviar, e as calçadas da Nevski são a superfície de um sanduíche aberto. O pensamento individual foi sugado para dentro da cerebração da miriápode que se movia ao longo da Nevski. (…) O segmento pegajoso se compunha de segmentos individuais; e cada segmento individual era um dorso.

Não havia pessoas na Nevski, mas sim uma miriápode que aí rastejava e uivava. O espaço úmido derramava uma multi-distinção de vozes numa multi-distinção de palavras. Todas as palavras se misturavam e se teciam numa sentença; e a sentença parecia não ter sentido. Pairava acima da Nevski uma negra neblina de fantamasgoria.

E, inchado por aquela fantamasgoria, o Neva rugia e se agitava entre suas margens maciças de granito.”

( Andrei Bieli )

Outro dia , dirigindo pelas ruas paulistanas , cheguei na esquina da R. Paulo Sérgio de Macedo com a R. Waldir Azevedo … Para quem não sabe , o primeiro foi compositor e intérprete da Jovem Guarda e de músicas cafonas dos anos setenta ( “Eu te amo , eu te venero” , “Quero ver você feliz”, etc. ) enquanto que o segundo , tocava cavaquinho e compunha chorinhos ( “Brasileirinho” , “Pedacinhos de céu”, etc. ) … só a mente bizarra destas pessoas que dão nome às ruas , poderia conceber tal encontro absurdo … Aí fiquei pensando outras barbaridades existentes : R. Antoni Gaudi travessa da Av. Carlos Lacerda , Paul Valéry esquina com a R. Booker Pitmann … e por aí vai …

Citação do dia :

“As únicas coisas eternas são as nuvens …”

( Mário Quintana )

Citação do dia :

“Vocês acreditam num edifício de cristal indestrutível por todos os séculos, um edifício tal qual não se poderá mostrar a língua, às escondidas, nem fazer figa dentro do bolso. Eu temo este edifício justamente porque é de cristal e indestrutível por todos os séculos, e por não se poder mostrar a língua, nem mesmo às escondidas .”

( comentário de Fiodor Dostoievski sobre o Palácio de Cristal projetado por Joseph Paxton)

Citação do dia :

“… a calçada desapareceu-lhe sob os pés, as carruagens e os cavalos que galopavam pareciam imóveis , a ponte se alongou e se rompeu no meio do arco que descrevia , a casa virou de cabeça para baixo , a guarita tombou em sua direção e a alabarda da sentinela , juntamente com as letras douradas do letreiro da loja e a tesoura nele pintada , pareciam brilhar-lhe nos cílios .”

( Nikolai Gogol )

ZENSIDER

Outro dia o nosso cinema perdeu o nosso maior vilão ( José Lewgoy ) , anteontem foi a vez de uns dos últimos galãs : Cyl Farney … logo mais só teremos vilões barangões e galãs baranguinhos …

Citação do dia :

“Culpa é o preço que pagamos de bom grado para fazer o que iríamos fazer de qualquer jeito.”

( Isabelle Holland )