Skip to content

{ Monthly Archives } April 2003

Dentre as manias que tenho … uma é ouvir a conversa alheia … pois bem , outro dia ouvi uma possível estudante de arte comentar com sua amiga : “Esse negócio de não entitular as obras é um absurdo …imagine se Picasso pensasse assim … então para se referir a sua obra mais famosa ( Guernica ) teríamos que falar : – Sabe aquele quadro sem título do Picasso sobre um bombardeio na Guerra Civil Espanhola …”

Também penso assim … quadros sem título , para mim , beiram ao pedantismo , e mesmo numerá-los não é legal … “Ah ! mas e a música clássica ??? Com o Concerto Número 1 em Ré Maior , Opus 6 de Paganini ??? Ou a Sinfonia Número 5 em Dó Menor Opus 67 de Beethoven ???” dirão uns chatos … Mas imagine se ao se referissemos ao conto “O Zahir” do livro “Aleph” de Jorge Luis Borges , tivessemos que dizer : -“Você leu o décimo primeiro conto do nono livro de Borges ???” . Títulos , títulos e mais títulos …

SOBRE PINTURA , CINEMA & MÚSICA

“Existem os filhos dos deuses e os filhos da puta. A diferença é pouca mas conta.”

( Wesley Duke Lee )

A citação acima foi extraída de uma das pinturas de Wesley que prestando homenagem à atriz Jean Harlow , integram a mostra “Aproximações do Espírito Pop :1963 – 1968” que fica até o dia 22 da junho no MAM do Ibirapuera . Os outros artistas são Waldemar Cordeiro , Nelson Leiner e Antônio Dias … No geral é representativa , porém acho equivocada a idéia de tentar ilustrar uma tendência , mostrando apenas a obra de quatro artistas … faltaram outros : Cláudio Tozzi , Rubens Gerchman , Carlos Vergara , Maurício Nogueira Lima , etc … Quem for até a Pinacoteca , por exemplo , e olhar o acervo , descobrirá um quadro da fase Pop do saudoso Nogueira Lima , retratando uma partida de futebol , que é melhor que a grande maioria das telas expostas no MAM . Na verdade , observando com atenção , percebemos que dos quatro , só Wesley desenha bem … Aliás este é problema principal na formação dos atuais artistas plásticos : querem entrar na festa pela porta dos fundos : Picasso , antes de simplificar o traço , fez de tudo : arte acadêmica , impressionismo , expressionismo , etc …

Na verdade , o principal motivo de minha ida ao referido museu , foi a exibição de “Filme Demência” , obra do Carlos Reichembach que tinha assistido há uns quinze anos atrás … É sobre a fábula de Fausto , vivenciada por um empresário falido que fabricava os cigarros Éden e Azteca , que em um acesso de desespero , abandona sua casa em busca de uma paisagem praiana que aparecia em seus sonhos …

Depois do filme e da exposição , fui visitar meu grande amigo , o pintor Fábio Casarini , e convencê-lo de criar um blog : infelizmente dos artistas da minha turma , só eu e o Alberto Lima ( Carne Crua ) temos uma página … mas é uma questão de tempo …

Agora ouço dois discos do Chet Baker que me foram presenteados por minha irmã : um deles é com Charlie “Bird” Parker ( destaque para a faixa “Irresistible You” ) o outro é com Stan Getz ( destaque para “My Funny Valentine” ) , alíás por falar nesta música , se a melhor interpretação masculina é a de Chet cantando , no lado feminino a cantora brazuca Dolores Duran fez bonito … saibam que , quando Ella Fitzgerald ouviu Adiléa da Silva Rocha ( o nome verdadeiro de Dolores ) cantar a canção de Richard Hodges e Lorenz Hart na boate Baccarat , no Rio , disse que era a melhor interpretação que já ouvira … é mole ???

Citação do dia ;

“Prendendos-nos demais a pormenores de pouca importância, acabamos por esquecer as generalidades essenciais. Assim foi que certo escritor se queixava um dia, amargamente, dos erros de impressão cometidos em seu livro, embora poupasse a seu impressor as censuras, bem merecidas, pela mais imperdoável das faltas: a de ter sido impresso o volume.”

( Edgar Allan Poe )

JUST FRIENDS

Citação do dia :

“A proteção mais infalível contra a tentação é a covardia. ”

( Mark Twain )

Estou lendo “A Divina Comédia”, e achei bem interessante o destino que Dante deu para as almas das pessoas medíocres : mal passam pela porta do inferno, já são barrados, não podendo nem cruzar o rio Aqueronte :

” ‘Mestre, que ouço agora? Que gente é essa que a dor está prostrando?’

‘Queixa-se dessa maneira’, tornou-me, ‘quem viveu com indiferença a vida, sem ter nunca merecido nem louvor nem censura ignominiosa. Faz-lhes companhia um grupo de anjos mesquinhos, que a Deus não manifestaram nem fidelidade nem rebeldia, pensando apenas em si mesmos. Foram, com desdouro, expulsos dos céus; nem o inferno profundo os acolhera, pois os anjos rebeldes se jactariam de lhes serem superiores em algo.’

‘Que dor tão cruel se apodera deles e os faz gritar, urrar tão fortemente?’, eu perguntei. ‘A razão disso é simples’, respondeu-me ele.’ Não lhes é permitido esperar o descanso da morte, e, com sina tão vil e abjeta, passam a invejar qualquer outra sorte. Seus nomes passaram no mundo sem deixar marca; o perdão e a justiça divina os desdenharam. Mas não desperdicemos mais tempo com eles; olha-os e segue em frente.’”

( Dante Alighieri – tradução : Fábio M. Alberti )

O PREPOTENTE FULGURANTE

Ari Newman era o que poderíamos chamar de patrão obsessivo , a primeira coisa que seus empregados deveriam saber era a diferença entre os verbos aceitar , querer e exigir … a partir daí eram obrigados a entender uma série de sinais … um estralar de dedos era um aviso para apertar o botão do elevador , cuspir discretamente um chiclete , abrir ou fechar uma janela , persiana , etc … tudo dependia das circunstâncias … Tal procedimento era embasado por uma teoria enfatizando a comunicação não-verbal , modelo de eficiência para a empresa do terceiro milênio, segundo as normas da reengenharia setorial-orcamentária.

A funcionária que mais sofria nas suas mãos era Tânia Maria Del Carmo : ao chegar bem cedinho no escritório da Ego Moldes , vestia um avental e limpava o escritório ( quem cuidava das outras dependências da empresa eram faxineiras , mas no escritório de seu Ari , nem elas , nem as copeiras podiam por os pés ) , no momento em que seu chefe adentrava no recinto tirava o avental , punha um turbante e fazia previsões sobre o dia da empresa , após consultar vários oráculos ( búzios , tarô de marselha , I Ching , runas , geomancia , etc ) , então retirava o turbante , fazia escova no cabelo , se maquiava , punha um taileur e um echarpe ( nas cores da empresa , é claro ) e fazia as funções de secretária executiva , realizando ligações internacionais em várias linguas ( inglês , francês , alemão , espanhol e italiano ) , aplicando o dinheiro da firma em diversos investimentos , consultando os fornecedores com preços mais baratos , elaborando uma série de pareceres ( balanços semanais , inventários patrimoniais , relatórios logismográficos , registros contábeis , etc. ) , resolvendo problemas jurídicos , pendências trabalhistas , organizando cocktails e festas de aniversário ( o nosso protagonista era uma criatura muito rígida , porém se emocionava profundamente com o apagar de velas ao som de “Parabéns pra Você” ) .

Ari tinha um pianinho de brinquedo em sua mesa e realizava os pedidos de copa apertando uma tecla … Como nossa amiga tinha ouvido absoluto ( sabia diferenciar qualquer nota ) , seu chefe estabeleceu um código para as notas que tocava em seu instrumento :

Dó – Café sem açúcar

Ré – Café com açúcar

Mi – Água sem gás

Fá – Água com gás

Sol – Suco de laranja

Lá – Biscoitos

Sí – Pão de queijo

Assim que ouvia uma nota , a ilustre secretária tirava a parte de cima do taileur , vestia uma camisa e trocava o echarpe por uma gravata borboleta , e paramentada como garçonete , trazia rapidamente o que o seu Ari pedia … – “Um dia quando eu tiver mais tempo , vou ampliar o código acrescentando os sustenidos , assim ele ficará ainda mais satisfeito …” era o que ela repetia baixinho …

No final do expediente Tânia Maria vestia um quimono e aplicava diversos tipos de massagem no chefe idolatrado , mas isto é uma outra estória …

É obvio que ela era apaixonada por ele , alguns diziam que era amor à primeira vista , outros diziam que era por causa das novelas colombianas que a secretária assistia , mas não importa , ela sempre repetia : -“Um dia vou fazer o senhor brilhar.”

Porém ingressou na Ego Moldes uma acensorista linda chamada Audrei Regina … a partir daí o doutor Ari passou diariamente a despachar de dentro do elevador durante metade do expediente , justificando seu procedimento com uma estranha teoria de Patamares Megacompatíveis … A nossa conhecida não se conformou … porém tinha prometido fazê-lo brilhar …

A promessa foi cumprida , graças a doses diárias de um composto radioativo semelhante ao Césio , secretamente misturado ao cafézinho , o nosso amigo passou a cintilar tal qual um abajur … mas seu brilho durou pouco … Hoje após a implantação de um Programa Conjuntural Heterodoxo , com Tânia Maria Del Carmo dirigindo a Ego Moldes … o ambiente está mais silencioso : acabaram os dedos estralando pois as ordens são trasmitidas telepáticamente …

Tagged

Ao esperar na fila para ingressar na exposição de arte chinesa na oca , na maquise do Ibirapuera ( na minha opinião , uma das melhores obras de Niemayer ) ouvi alguns jovens apitarem uma espécie de cornetinha com um timbre horrível … comentei então com a dama que me acompanhava : -“O cara que inventasse um apito que relinchasse ganharia rios de dinheiro , além de poder secretamente , humilhar os usuários de seu invento …”

Citação do dia :

“Não sei onde eu deixei minha poesia. Deve ter sido em um desses bares, por aí. Ou no olhar, na carne, no breve dia feliz da mulher amada. Sei que a perdi e, se era tão pouca, foi bom que se perdesse, porque poesia é como areia – só merece atenção quando é muita; exemplo: praia e deserto.”

( Antônio Maria )

WERTHER EM CAMPOS ELÍSEOS