Skip to content

{ Monthly Archives } May 2003



Ponte O’Connell , Dublin , Outubro de 1992 .

“Caminhei pelas ruas que percorreram, e continuam a percorrer, todos os habitantes do Ulisses“.

( Jorge Luis Borges )

Citação do dia :

“Se eu não vejo a mulher que eu mais desejo

nada que eu veja vale o que eu não vejo.”

( Poema de Augusto de Campos adaptado de Bernart de Ventadorn )

O DESENHISTA

Frederico Gianinni Tiépolo ficou surpreso com a chuva repentina , e embora possuisse automóvel , estava a pé : só entrava em um carro para cobrir um percurso igual ou superior a uns vinte quarteirões : -“Distâncias menores deveriam ser percorridas caminhando.” dizia … Unindo o útil ao agradável , entrou em um bar , sentou-se e pediu um “Negroni” ( gin , vermute tinto e bitter com meia rodela de laranja e meia de limão siciliano ) … sempre tomava este coquetel em dias chuvosos …

Ao fixar o olhar na mesa ao lado , notou uma mulher chorando copiosamente … reparou que ela era muito , mas muito bonita … uma coisa que deixava nosso protagonista perplexo era a figura de uma dama em prantos … linda daquele jeito então …

– “A senhorita está resfriada ??? Quer um lenço de papel ???”

– “Obrigado , mas eu não estou gripada … é que briguei com meu namorado. ”

– “É , que pena …quanto tempo de namoro ???”

– “Nove semanas.”

– “Poxa … só isso …”

– “Mas eu achava que era o grande amor de minha vida … e você , o que você faz ???”

– “Eu sou desenhista de estória em quadrinhos.”

– “Nossa , que coincidência , ele também era …”

– “Ele quem ???”

– “Meu ex”

– “Esqueça … mudando de assunto , você quer ver meu super-herói ???

Vou desenhá-lo aqui no guardanapo … Garçom , uma caneta por favor !!!”

Frederico traçou meticulosamente as linhas até formar “O Hiper-Homem” , sua criação : um super-herói formado por uma porção de homenzinhos , tal qual o Simurg de Farid al-Din Attar ( um pássaro formado por outros trinta pássaros ) ou a Águia composta por milhares de reis justos , do Canto XVIII – Paraíso , da “Divina Comédia” de Dante Alighieri .

Nosso amigo explicou à beldade , a diferença do “Híper-Homem” que , sendo constituído por pequenas pessoas , era uma alegoria do povo ( simbolizando as forças populares ) , enquanto que o “Super-Homem” era uma só pessoa única , ou seja uma alegoria do individualismo ( representando as forças egóicas do capitalismo ) .

A conversa seguiu animada , trocaram um beijo úmido … no dia seguinte mais …no outro mais ainda … até que estavam namorando … ela contava os dias … quando o namoro completou um mês , fez um jantar para ele … Cardápio : Alheiras ( de entrada ), Açordas de Mariscos ( como prato principal ) e Toicinhos do Céu ( de sobremesa ) …para beber vinho Pêra-Manca …

– “O próximo mês é a sua vez …” disse esperançosa …

Mas Frederico estava muito ocupado , concebendo estórias de seu híper-herói , e esqueceu-se de preparar algo para comemorar os dois meses de namoro … Ela esperou uma semana para que ele se desculpasse …

Mas ele estava absorvido em seus desenhos … ela não agüentou mais … brigou com ele e foi beber alguma coisa sozinha … O nosso amigo saiu para caminhar sem se dar conta que as nuvens estavam carregadas … começou a chover … ele correu para um bar , o mais próximo , sentou-se e pediu um “Negroni” … sempre tomava este coquetel em dias chuvosos …

Ao fixar o olhar na mesa ao lado , notou uma mulher chorando copiosamente … reparou que ela era muito , mas muito bonita … uma coisa que deixava nosso protagonista perplexo era a figura de uma dama em prantos … linda daquele jeito então …

“A senhorita está resfriada ??? Quer um lenço de papel ???”

Tagged

Fui a Pinacoteca ver a mostra COSMOCOCA Programa in Progress de Hélio Oiticica e Neville D’Almeida … na entrada comprei a revista “Ocas” que é vendida pelos moradores de rua e contém textos deles , entrevistas , etc … Pareceu-me ser um negócio interessante : o senhor que me vendeu , disse que este era o único projeto social que realmente lhe reestabelecera a dignidade : na nona página , a matéria sobre ele : uma pessoa com experiência em química que foi parar na sarjeta …

Lá dentro , quatro ambientes : um com colchões , outro com o piso em espuma e sólidos ( esferas , pirâmides e cubos de espuma ) , um terceiro com redes e o último com bolas de gás : em todos a projeção de slides tirados pelos realizadores nos quais retratos de Jimi Hendrix , Luis Buñuel , Marilyn Monroe , etc… eram “maquilados” com o famoso pó branco … o ambiente de espuma era o preferido da criançada que se divertia gargalhando enquanto recebia propaganda subliminar do entorpecente : será que estes pequeninos se tornarão cheiradores : tomara que não … a exposição vai até domingo que vem …

Segue um fragmento do texto explicativo do autor :

“MARILYN MONROE: a suposta unicidade da IMAGEM fragmentava-se ao resistir ao estereótipo q deveria definí-la e limita-la: todas as tentativas de amarrá-la a uma unicidade constante pareciam frustar-se ao final: havia algo q dissolvia essa unicidade: MAO-MARILYN: TV-ROCK: os BEATLES -> fragmentação q conduz a outro tipo de identificação -> q conduz ao comportamento e fragmenta o hábito unívoco do q é verbo-voco-visual: e nos faz rir a complacência da platéia macartista dos anos 50: e nos faz pensar com q efeito e unicidade certos conceitos e ‘pontos de vista’se impunham: de como era “estrangeiro’a ousadia de experimentar: de como PARIS de provincianismo latente se tornou na maior e única praça de experimentações nunca antes vistas: de como se pensava que a fragmentação devesse ser uma espécie de atomismo: o mundo dos objetos mesmo com a bomba pairando sobre sua unicidade seria transformável (reduzido ao átomo) mas nunca fragmentado enquanto todo: como imaginar q o cinema pudesse vir a ser algo não seqüencia e constância e fluir temporal: constância verbo-voco-visual: ???: yeah: eis a questão”

( Hélio Oiticica )

Dica de blog ( enviada pela Robertha ) :

É a página Calendário de Pensamentos , onde aparecem citações literárias de personalidades aniversariantes !!! Veja qual grande escritor que nasceu no mesmo dia que o seu !!! Depois procure pelas datas dos entes queridos … e esbanje conhecimento quando encontrá-los …

Citação do dia :

“Eu mesmo sou uma sombra , uma sombra do arquétipo que está no céu . Para que fazer uma sombra dessa sombra ?”

( Plotino , ao recusar-se a ser retratado )

Citação do dia :

“Grande lascivo , espera-te a voluptosidade do nada .”

( Machado de Assis )

A Arte é que nem Beatriz : pode ser a Beatriz de Dante , que conduz seu amado através do Paraíso , ou pode ser Beatriz Pison , a personagem central da novela colombiana “Betty , a feia”, que conduz seu amado pelos corredores da Ecomodas … ou seja , a arte pode ser tópica ou típica , mas jamais medíocre !!!

A DAMA SORRIDENTE DE ÍNDOLE MISTERIOSA

As citações de hoje remetem ao mesmo tema :

“Assim que desimpedida a alma viu-se ociosa, sem a tarefa dos sentidos exteriores, arremeteu-me dessa maneira a comédia seguinte; e assim a recitaram no escuro minhas faculdades, sendo eu para minhas fantasias auditório e teatro.”

( Quevedo )

“Ora te ocultas, de ninguém conhecido; ora te desdobra por todas as coisas criadas. Para teu próprio deleite operas essas maravilhas, sendo ao mesmo tempo espetáculo e espectador.”

( Omar Khayyam )

“A alma , quando sonha, é teatro, atores e público.”

( Joseph Addison )