Skip to content

{ Monthly Archives } July 2003

O POETA SENDO ATINGIDO POR CRÍTICAS PONTEAGUDAS VINDAS DA IMPRENSA ESPECIALIZADA

Sábado passado adquiri mais duas pérolas da música brasileira : “AMOR, ORDEM & PROGRESSO” de Jards Macalé e “MAURÍCIO PEREIRA & TURBILHÃO DE RITMOS” …

“AMOR, ORDEM & PROGRESSO” ( lema do positivista Augusto Comte que teve a palavra AMOR extraída , quando inserida no pendão brasileiro ) é o título do mais recente disco de Jards Macalé que traz músicas do autor ( em especial a regravação de “Meu Amor Me Agarra & Treme & Chora & Mata” cuja letra é de Capinam e que não é inferior a versão original de 1972 ) , sambas ( “Roendo As Unhas” de Paulinho da Viola , “Positivismo” e “Falem de Mim” de Noel Rosa ) , bossas novas : “Samba da Pergunta” ( gravada por João Gilberto com o título de “Astronauta” ) e “Consolação” de Baden Powel, canções da mais famosa dupla (*) de locutores esportivos de Pindorama : “Por Causa Desta Cabocla” do flamenguista Ary Barroso e “Manhã de Carnaval” do vascaíno Antônio Maria .

Macalé como sempre revela-se um genial intérprete : sua voz se desenvolve pelas modulações graves enquanto que seu violão realiza algo bem mais criativo do que o dominó harmônico que a maioria dos instrumentistas faz ( a metáfora que realiza a articulação entre a tarefa de combinar acordes com o ato de combinar peças de jogo , infelizmente não é minha , é de Thomas Mann ) . E os acompanhantes são de primeira : no baixo : Arismar Espírito Santo ; na guitarra : Victor Biglione e na percurssão ; Robertinho Silva … com arranjos e regência do próprio Macalé e do Moacyr Luz , provavelmente realizados antes ou após uma passada no famoso Bar da Maria , na R. Anita Garibaldi ( bairro da Muda – Tijuca – Rio de Janeiro ) .

MAURÍCIO PEREIRA já começa com um mérito : é o primeiro artista ( do lado pop ) a homenagear Antônio Marcos na versão de “O Homem de Nazaré” … desde a morte deste , em 1992 , ninguém fez um arranjo decente para as músicas do saudoso cantor e compositor de São Miguel Paulista … ( na verdade a canção é do maranhense Cáudio Fontana , mas ficou famosa na interpretação de Antônio Marcos ).

Além dos arranjos criativos, a banda Turbilhão de Ritmos ( bateria percurssão e voz : Carneiro Sândalo ; baixo e voz : Reinaldo Xulapa ; teclados e voz : Daniel Szafran ; guitarra : Luiz Waack ; trompete e fluegel : Amílcar Rodrigues ) executa as canções com desenvoltura ( principalmente nas harmonias em contraponto do guitarrista ) e a escolha do repertório é muitíssimo bem sucedida : “Universo No Teu Corpo” de Taiguara , “Iracema” de Adoniran Barbosa ( a primeira música a retratar o drama dos atropelamentos ) , “Marcianita” ( que teve várias regravações como a de Caetano Veloso & Mutantes ou a de Raul Seixas ) , “Férias Na Índia” ( de Osmar Navarro e Nílton César ) que mostra o lado world-music terceiro mundista da Jovem Guarda ( o protagonista não foi para Miami nem para Mônaco , foi banhar-se nas águas do Ganges ) … e saindo das águas do supracitado rio indiano para mergulharmos nas águas do lago azul de Ypacaraí em cujas margens ouviremos a clássica “Galopeira” ( aqui Maurício Pereira bate o recorde mundial de tempo de permanência na vogal “E” , no refrão da canção ambientada em Assunção – capital do Paraguai ) …

Temos ainda o funk “Cristina” de Tim Maia , “Sou Uma Criança e Não Entendo Nada” do Tremendão e muito mais … mas a versão que eu gostei mais foi a valsa que virou blues :”Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda” de Lamartine Babo e Francisco Mattoso : a voz comedida de Maurício combina magistralmente com o espírito de Lamartine que se auto-intitulava “O Cantor das Multidinhas” em ironia ao epípeto de Orlando Silva “O Cantor das Multidões” ….

(*) Foi na verdade a única dupla de locutores esportivos : enquanto um time ( geralmente o rubro-negro carioca ) estava com a bola , Ary narrava , quando o outro time ( quase sempre a equipe cruz-maltina de São Januário ) retomava a posse de bola , Antônio Maria passava a irradiar … Pelo timbre do locutor sabíamos quem time estava com a pelota … Com a tragédia do Maracanã em 1950 , os dois pararam de irradiar futebol e os locutores vindouros jamais repitiram tal experiência … Que pena …

Um pessoal que não podemos acusar de possuir mau gosto é o pessoal do além …Depois de chamarem Itamar Assumpção , cerca de um mês atrás , resolveram convocar o sambista Noite Ilustrada … pagodeiros e a moçada do axé ninguém chama , quando muito , algum sertanejo e olhe lá …

Citação do dia :

“Se nel mondo tornassino i medesimi uomini, come tornano i medesimi casi, non passarebbono mai cento anni, che noi ci trovassimo un altra volta insieme, a fare le medesime cose, che ora.” (*)

(*) Se ao mundo retornassem os mesmos homens, assim como as mesmas circunstâncias, jamais transcorreriam cem anos, sem que novamente nos encontrássemos juntos, fazendo precisamente o mesmo que agora.

( Nicolau Maquiavel – tradução : Wolfgang Leo Maar )

Citação do dia :

“Há tantas auroras que não brilharam ainda.”

( Rig Veda )

Citação do dia :

Os animais e a moral. – As práticas que são exigidas na sociedade refinada, o evitar cuidadosamente o ridículo, o que dá na vista, o pretensioso, o preterir suas atitudes assim como seus desejos mais veementes, o fazer-se igual, pôr-se na ordem, diminuir-se – tudo isso, como moral social, se encontra a grosso modo, por toda parte até o mais profundo do reino animal – e somente nessa profundeza vemos o propósito que está por trás de todas essas amáveis precauções : quer-se escapar de seus perseguidores e ser favorecido na busca de sua presa.”

( Friedrich Nietzsche )

RETALHOS DE CETIM

Citação do dia :

“O que é admirável é como a individualidade de toda pessoa (…) , qual tintura penetrante , determina todas as ações e pensamentos da mesma , até a mais insignificante ; em conseqüência do que todo o curso da vida , i. e. , a história exterior e interior , de um se configura tão fundalmentamente diferente do outro . Assim como um botânico conhece a planta inteira por uma folha , e Curvier construiu o animal inteiro por um osso , é possível a partir de uma ação característica de uma pessoa atingir um conhecimento correto de seu caráter , portanto construí-lo em certa medida a partir daí , inclusive quando esta ação se refere a algo insignificante ; então freqüentemente até do melhor modo , pois com coisas importantes as pessoas se cuidam ; com insignificâncias seguem , sem grande reflexão , a sua natureza .

(…)

Realmente o fundamento e a propedêutica para todo conhecimento humano é o convencimento de que o agir do homem , no todo e no essencial , não é conduzido por sua razão e seus preceitos , por isto ninguém se torna isto e aquilo , por mais que queira sê-lo , mas de seu caráter inato e imutável procede o seu agir, é mais específica e estreitamente determinado pelos motivos , e em conseqüência é o produto necesário destes dois fatores . Deste modo é possível visualizar a atividade de um homem mediante o curso de um planeta , resultado da força tangencial que lhe é dada ; e da força centrípeda procedente de seu sol ; onde a primeira força representa o caráter , a segunda a influência dos motivos .”

( Arthur Schopenhauer – tradução Wolgang Leo Maar )

Andando pela cidade e observando as costumeiras pichações sem compreender as mensagens ( como de costume ), lembrei-me de um grafite escrito no muro do departamento de história da arquitetura de minha faculdade … Todos os dias passava per ele e não entendia seu significado … o que estava pichado era o seguinte : “INCÓGNITO ERGO A SUNGA” … Acabei me formando sem saber o que queria dizer aquela misteriosa inscrição … Outro dia , em um tradicional churrasco na residência do polêmico escultor e arquiteto Javé Nardini ; um de seus autores , não lembro se foi o Charles Vincent ou o Antônio Xavier, me explicou que era uma brincadeira com a frase de Descartes “Cogito , ergo sum.” ( Penso , logo existo ) .

Será que algum dia alguém irá me dar uma explicação tão elaborada com relação ao sentido destas escrituras neo-rupestres ( afinal em vários aspectos voltamos à pré-história , basta caminhar por lugares como o Jardim Ângela , para comprovar ) que impregnam o atual espaço urbano ??? Acho que não …

PS. : Talvez as pichações estejam escritas em outro idioma ( emboaba-umarizal ou tapuia-nhocuné ) e eu ( que vergonhosamente não sei nem tupi-guarani ) , é que esteja fazendo papel de gringo em minha própria cidade …

Fiquei hospedado neste casebre de pau-a-pique em Trancoso , no verão de 1988 !!!

Tagged ,