Skip to content

{ Monthly Archives } September 2003

Citação do dia :

“É o encadeamento das reprersentações entre si, em virtude da lei da causalidade, que distingue a vida do sonho.”

( Emanuel Kant – tradução : Pedro Ferraz do Amaral )

UNA RUBIA CON UN ALIENTO EMBRIAGANTE

“Porquê a vida é o amor, e a vida da vida é o espírito.”

( Johann Wolfgang Goethe – tradução : Pedro Ferraz do Amaral )

Citação do dia :

Com efeito, conceber o mundo com uma fanstasmagoria multicolor e móbil de imagens que deixam tranparecer a Idéia, o Espírito, é atitude eminentemente artística, que, por assim dizer, de pronto restitui o artista a si mesmo. Na verdade, é ele quem, pleno de alegria sensual e pecaminosa, pode sentir-se preso aos fenômenos do mundo, às imagens do mundo, pois sabe que pertence ao mesmo tempo ao mundo da Idéia e do Espírito, porque é o Mago, graças ao qual podem estes nos aparecer através dos fenômenos. Surge aqui a missão mediatária do artista, seu papel de mediador nas encantações herméticas entre o mundo do alto e o mundo de baixo, entre a idéia e o fenômeno, o espírito e a sensualidade ; porque tal é de fato, a posição verdadeiramente cósmica, da arte sua estranha situação e a comprometida dignidade de sua ação no mundo não podem definir-se nem explicar-se de outra maneira. O símbolo da lua, este emblema cósmico de toda mediaçào, é próprio da arte.

( Thomas Mann )



Tibério Gaspar , Toni Tornado e Antônio Adolfo.

NESTE ONZE DE SETEMBRO

Neste onze de setembro vários blogs devem estar comentando os dois anos passados do atentado às duas grandes torres … este espaço , porém , enfatizará a presente data de outra maneira … hoje fazem sessenta anos do nascimento de Tibério Gaspar …para quem não sabe , ele e o pianista Antônio Adolfo realizaram uma das mais frutíferas parcerias da música da nação de Pindorama … eles venceram o V FIC ( Festival Internacional da Canção ) com “BR-3” ( interpretada por Toni Tornado ) e foram vice-campeões ( ou medalhas de prata ) no IV FIC ( com Juliana ) e no Festival de Atenas ( com “Teletema” cantada por Evinha ) … aliás neste aspecto , os festivais brasileiros e europeus são bem mais interessantes do que os festivais norte-americanos … quem foi o primeiro em Woodstock ??? Quem ganhou o Monterrey Pop Festival de 1967 ??? ninguém … já o Festival de San Remo de 1968 , foi vencido por Roberto Carlos cantando “Canzone Per Te” ( Endrigo ? Bardotti ) enquanto que no II Festival de música Brasileira “A Banda” ( Chico Buarque ) e “Disparada” ( Geraldo Vandré ) empataram em primeiro .

A dupla ainda compôs : “Moça” , “Meia Volta ( Ana Cristina )” , “Sá Marina” e “Porque Hoje é Domingo” que receberam interpretação de Wilson Simonal , entre outras sendo que recentemente o grupo Kid Abelha regravou “Teletema” …

Estou ouvindo os relançamentos dos dois discos de”Antônio Adolfo e a Brazuca” , grupo que Tibério Gaspar participou e que foi desfeito com a morte do baterista em 1971 … que recebeu uma homenagem em “Tributo a Vitor Manga” gravada de improviso , segundo consta …

Partircularmente gosto muito de “Sá Marina” … acho que algumas rimas internas como “Gira que esta gente aflita se agita” são de uma beleza contundente …leia a letra inteira :

SÁ MARINA

Descendo a rua da ladeira

Só quem viu é que pode contar,

Cheirando a flor de laranjaeira

Sá Marina vem pra dançar.

De saia branca costumeira

Gira o sol que parou pra olhar,

Com seu jeitinho tão faceira

fez o povo inteiro cantar.

Roda pela vida afora

E põe pra fora essa alegria,

Pensa que amanhece pra se cantar.

Gira que essa gente aflita se agita

E segue o seu passo,

Mostra toda essa poesia do olhar.

Deixando versos na partida

E só cantigas pra se cantar,

Aquela tarde de Domingo

Fez o povo inteiro chorar

E fez o povo inteiro chorar,

E fez o povo inteiro chorar.

Roda pela vida afora

E põe pra fora essa alegria,

Pensa que amanhece pra se cantar.

Gira que essa gente aflita se agita

E segue o seu passo,

Mostra toda essa poesia do olhar.

Deixando versos na partida

E só cantigas pra se cantar,

Aquela tarde de Domingo

Fez o povo inteiro chorar

E fez o povo inteiro chorar,

E fez o povo inteiro chorar,

E fez o povo inteiro chorar,

E fez o povo inteiro chorar.

( Antônio Adolfo e Tibério Gaspar )

CHEGA DE TELETUBIES

Vi na TV uma reportagem sobre o Festival do Saci que ocorreu em São Luis do Paraitinga … excelente idéia essa … Vamos enaltecer também o Curupira , o Boitatá e a Mula-Sem-Cabeça !!! Somente o resgate do folclore poderá deter o processo da deformação do caráter dos nossos pequerruchos ( as crianças do Brasil ) !!!

Auto-retrato caminhando em Anecy ( França , fronteira com a Suiça )

Tagged

Citação do dia :

“Acabou-se, então, a minha poesia. Posso ter tido humor, coragem, densidade, altruísmo. Poesia, nunca mais. Aquele íntimo convencimento de saber e poder. Aquela capacidade de possuir, de legar, de transferir, de esquecer, de lembrar, de prever, de mutiplicar, de dividir…Aquela segurança de (numa só palavra) “criar’, isto, que é a Poesia, nunca mais. Para sempre, seja bem ou mal, mau ou bom, nunca mais.

Recolhido ao seu quarto, enchendo laudas imensas de papel-trabalho, sem zelo de si e de ninguém , aflitivamente de óculos, resta um homem que, sem se desincumbir , rompeu os graves compromissos com e da poesia. Um homem mais forte e mais livre. Indiscutivelmente melhor.”

( Antônio Maria )

Citação do dia :

“Assim como a forma corporal bela é visível com mais facilidade sob a vestimenta leve, ou, do modo mais vantajoso, despida, e uma pessoa bela, se provida de bom gosto, e por este pudesse se orientar, deveria andar quase nua, vestida apenas à maneira dos antigos; assim também todo espírito belo e bem dotado se expressará sempre do modo mais natural, simples e direto, procurando sempre que possível comunicar seus pensamentos a outros, diminuindo assim a solidão a que é obrigado neste mundo; por outro lado, contudo, pobreza de espírito, confusão e extravagância se revestirão com os termos mais rebuscados e as expressões mais confusas, para assim mascarar em frases difíceis e pomposas pensamentos mesquinhos, infímos, banais ou cotidianos, como aquele que, desprovido da majestadade da beleza, pretende substituir esta carência por meio da vestimenta, e procura ocultar a insignificância ou feiúra de sua pessoa sob bárbaros ornamentos, lantejoulas, penachos babados, peles e mantos. Embaraço idêntico ao sentido por este, quando obrigado a andar nu, sentiria muito autor, se obrigado a traduzir seu livro pomposo e obscuro ao seu claro e reduzido conteúdo.”

( Arthur Schopenhauer – tradução : Wolfgang Leo Maar )

UNA MUJER DESNUDA Y EN LO OSCURO

Tagged