Skip to content

{ Monthly Archives } October 2004

Finalmente consegui um tempo para ir na Mostra de Cinema … assisti dois filmes latino-americanos , um feito na antiga Província Cisplatina ( atual República Oriental do Uruguay ) e o outro en la Isla de Cuba… É interessante notar que ambos países encontram-se em situações semelhantes de imobilismo tecnológico , econômico e social … guardadas as diferenças quanto as causas de tais processos estagnatórios , veremos que as reações das respectivas populações são bastante diversas …

Alguém que nunca esteve no Uruguay pode achar que o tédio total e absoluto retratado nas personagens e paisagens de “Whisky” ( Juan Pablo Rebella e Pablo Stoll ) é exagerado , mas não é … estive lá e asseguro que é assim mesmo … Este imobilismo é enfatizado na repetição de ações cotidianas e pelo uso da câmera imóvel ( não há um traveling sequer ) , embora a montagem relativamente dinâmica não deixe o filme descambar para o “teatro filmado” …

Já “Música Cubana” ( German Kral ) mostra uma espécie de “Buena Vista Social Club” de jovens músicos , liderados por um taxista e um velho cantor ( Pio Leyva ) que tentam formar uma banda em meio a uma Havana destruída e favelizada … É a nova geração querendo mandar seu recado … embora nem todos possuam o mesmo talento , vemos uma série de pessoas tocando , festejando , tentando cavar uma brecha , dando depoimentos para a câmera móvel ( porém digital ) que registra também as lindas alvoradas e crepúsculos da capital cubana …

Embora pessoalmente eu fale um espanhol com sotaque sul-americano ( “desayuno” é pronunciada como “desajuno” ao invés do “desaiuno” ) e tenha gostado mais de “Whisky”, prefiro a atitude dos habitantes de la Isla … Hay que pelear , hay que pelear !!!

ALEGRIA É A PROVA DOS NOVE

Homenagem aos cinqüenta anos da morte de Oswald de Andrade.

Duas citações :

“A aversão do século XIX ao Realismo é a cólera de Calibã por ver seu rosto num espelho.

A aversão do século XIX ao Romantismo é a cólera de Calibã por não ver seu próprio rosto num espelho.”

( Oscar Wilde )

“Deslizou o espelho em meio círculo no ar para faiscar nas ondas longes ao revérbero solar agora irradiantes sobre o mar. Seus curvos lábios escanhoados riam e as pontas de seus brancos dentes resplandescentes. O riso tomou-lhe o forte tronco compacto.

– Contemple-se – disse -, seu bardo execrável.

Stephen recurvou-se para frente e afundou os olhos no espelho sustido ante ele, fendido numa rachadura curva, cabelo em pé. Como ele e os outros me vêem.

Quem escolheu esta cara para mim? Esta carnicarcaça a sacudir sanguessugas. Ele me pede a mim também.

– Surrupiei-o de um quarto da virago – Buck Mullingan dizia. – Bem feito para ela. A tia reserva sempre criadas chochas para o Malachi. Para não induzi-lo à tentação. E se chama Úrsula.

Rindo de novo, retirou o espelho aos olhos perscrutantes de Stephen.

– A fúria de Calibã por não ver a própria imagem no espelho – disse. – Se ao menos Wilde estivesse vivo para vê-lo.

Recuando e apontando, Stephen disse com amargura:

– É um símbolo da arte irlandesa. O espelho rachado de uma criada.”

( James Joyce )

O DESTINO CÓSMICO

Caneta hidrográfica sobre papel , desenhado entre 1984 e 1987 …

Tagged

TUDO ESTÁ MUDANDO

Nos meus trinta e nove aniversários , somente usei agasalho em três : em 1992 ( Genéve ) , em 1994 ( Londres ) e em 1998 ( Roma ) …pois bem , hoje terei que usar agasalho ( a não ser que vire o tempo milagrosamente ) e estou em pleno País do Futuro : Pindorama !!! Lembro-me que os vários Vinte e Dois de Outubros sempre forem bem quentes … Porém o clima está mudando … o planeta envelhecendo … em suma : não sou apenas eu que estou fazendo quarenta anos …

… coloque muita grana, interesses comerciais muito exigentes em cima de uma atividade criativa e ela perderá a espontaniedade e o elán . (…) Isso explica, pelo menos em parte, porque os filmes de Holywood não prestam e porque o Real Madrid não joga.

( Luiz Zanini Orichio )

Pois bem, fugindo do cinema comercial , fui assistir “Cruz del Sur” de Pablo Reyero , um filme do cinema independente argentino . Leia a crítica e assista quando passar em alguma mostra …

AMOR COM CLASSE

I

Naquela época Dalva Valentina se deitava diariamente sobre os lençois azuis de cetim … nua e sutilmente perfumada , ela ouvia sempre o mesmo disco : Ella Fizgerald cantando Cole Porter . Ela lera no famoso Livro da Moderna Magia Celta , escrito por um tal de Jonathan Butler Shaw , que aquilo iria trazer sorte , que assim arranjaria um grande amor …

Um dia , ia atravessando a rua distraída , o tráfego estava engarrafado , com os carros parados … ela achou que daria para atravessar , mas um motoboy apareceu do nada … Por pouco , ela seria mais um número nas terríveis estatísticas de acidentes de trânsito , não fosse um rapaz que segurou firmemente seu braço… Ela se virou e disse : – ” Puxa : Você fez alguma coisa por mim .” Ele , sorrindo timidamente falou : -” Se todas as mulheres do mundo formassem uma montanha você seria o topo .” … e aí se iniciou um diálogo que terminou no bar mais próximo …

– ” Um Manhatan , por favor !!!” – ele pediu ao garçom e virando-se para ela , ofereceu

– ” Manhatan ???”.

Ela disse meio sem jeito :

– “Não , pois este nome é o mesmo de uma música de Rodgers & Hart , e eu gosto é de Cole Porter … um Dry-martini , por favor …”

II

– “Noite e dia , você é o mundo .” … eram as palavras que ele repetia nas semanas seguintes àquele encontro … em uma tarde úmida , comunicou-a que a levaria à Paris , quatro vezes naquele ano : na primavera , no outono , no inverno e no verão … e cumpriu a promessa … depois , numa noite seca , pediu sua mão em casamento …

– “Eu tenho você profundamente em meu coração , tão profundamente que você realmente é uma parte de mim .” … Disse ela ao receber o pedido.

Na festa de casamento , um almoço com boleros tropicais , tudo transcorreu bem entre taças e taças de Dry-martini.

–” Foram servidos tantos , que precisaria de um campo de oliveiras inteiro só para suprir as azeitonas.” comentou um convidado no dia seginte …

Porém , na noite de núpcias , ele achou que iria surpreender com músicas diferentes e anunciou a surpresa : -“Trouxe um CD : Benito de Paula !!!” …

Nosso amigo jamais imaginaria que aquela mulher tão sofisticada , que segurava os talheres à européia ( com o garfo virado para baixo na mão esquerda , e a direita sem largar a faca ) iria responder com termos tão baixos …

III

Dalva Valentina , ficou precisamente uma semana atônita , até que , ao escovar os dentes , teve um estalo : ” A água ao descer pelo ralo no hemisfério Sul percorre o movimento no sentido horário , diferentemente do hemisfério Norte , onde o sentido é o anti-horário. Então as forças elementais giram em sentido inverso , o que quer dizer que , se uma magia vem das regiões boreais , nós das regiões austrais , devemos fazer tudo ao contrário…” Pensou estarrecida diante de um processo intuitivo que lhe revelara alguns segredos do universo .

IV

Hoje , sobre uma colcha feita com retalhos de cetim azul , proveniente de antigos lençóis , a nossa protagonista ouve sucessos de Benito de Paula na esperança de encontrar alguém que na noite de núpcias leve um disco ( de vinil ) de Ella Fitzgerald cantando Cole Porter , nem que seja o do show que ela fez com Duke Ellington ( em Estocolmo no dia 7 de fevereiro de 1966 ) no qual eles cantam somente uma música daquele que foi um dos melhores compositores do século vinte .

Tagged

CORAZÓN CORAZA

Porque te tengo y no

porque te pienso

porque la noche está de ojos abiertos

porque la noche pasa y digo amor

porque has venido a recoger tu imagen

y eres mejor que todas tus imágenes

porque eres linda desde el pie hasta el alma

porque eres buena desde el alma a mí

porque te escondes dulce en el orgullo

pequeña y dulce

corazón coraza

porque eres mía

porque no eres mía

porque te miro y muero

y peor que muero

si no te miro amor

si no te miro

porque tú siempre existes dondequiera

pero existes mejor donde te quiero

porque tu boca es sangre

y tienes frio

tengo que amarte amor

tengo que amarte

aunque esta herida duela como dos

aunque te busque y no te encuentre

y aunque

la noche pase y yo te tenga

y no.(*)

(*) CORAÇÃO COURAÇA

Porque te tenho e não

porque te penso

porque a noite está de olhos abertos

porque a noite passa e digo amor

porque veio a recolher tua imagem

e és melhor que todas tuas imagens

porque és linda desde o pé até a alma

porque és boa desde a alma a mim

porque te escondes doce no orgulho

pequena e doce

coração couraça

porque és minha

porque não és minha

porque te vejo e morro

e pior que morro

se não te vejo amor

se não te vejo

porque tu sempre existes em qualquer parte

mas existes melhor onde te quero

porque tu boca é sangue

e tens frio

tenho que amar-te amor

tenho que amar-te

ainda que esta ferida doa como dois

ainda que te busque e não te encontre

e ainda que

a noite passe e eu te tenha

e não.

( Mario Benedetti – tradução : José Geraldo de Barros Martins )

A CASA DO SOL NASCENTE

Não havia gostado muito da minha última criação “The House of the Rising Sun” postada na quinta feira , e preparei outra ( usando a mesma base ) para substituí-la … Mas depois de ir na exposiçãom de Hércules Barsotti , no MAM , mudei de idéia e deixo as duas versões …

Citação do dia :

“Pois bem, a feiúra e a beleza estão no campo da opinião, não da razão, pois não foi dito que o ‘céu é esférico’ seja belo, nem que ‘a terra é plana’ seja feio, mas que isto é, respectivamente, verdadeiro e falso.”

( Moisés Maimônides )