Skip to content

Citação do dia :

“Sim, muita é a vez que, depois dos mais severos e ininterruptos trabalhos que não conhecem noite, varando por noventa e seis horas; quando só saem do bote, onde incharam os pulsos de remar todo o dia no equador, e ganham o convés para carregar vastas correntes e mourejar no pesado cabrestante, e talhar e cortar, sim, e para ser, em seus proprios suores, enfumaçados e queimados de novo pelos ardores conjugados do sol equatorial e do forno também equatorial; quando, na cola de tudo isso, se moveram para limpar o navio e deixá-lo alvo como uma leiteria, muita é a vez que os pobres marinheiros, a abotoar a gola da blusa, são alertados com o grito de “Lá esguicha ela!” e voam para atacar outra baleia, e passam cansativamente por tudo aquilo de novo. Oh! Meus amigos, mas isto é matar um homem! E todavia esta é a vida. Pois bem nós, mortais, com longas labutas extraímos do vasto corpo do mundo seu escasso mas valioso espermacete; nem bem, com fatigada paciência, nos limpamos das sujeiras deste mesmo mundo, e aprendemos a viver aqui, nos puros tabernáculos da alma, nem bem fazemos isso, quando -“Lá esguicha ela!”- jorra a alma, e lá velejamos outro mundo e atravessar de novo a velha rotina da vida jovem.”

( Herman Melville Рtradṳ̣o : P̩ricles Eug̻nio da Silva Ramos )

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *