Skip to content

“Gosto dos bares assim que eles abrem para a noite. Quando o ar lá dentro ainda está fresco e limpo, tudo está reluzente e o barman está dando uma última olhada no espelho para ver se a gravata está em ordem e o cabelo, penteado. Gosto das garrafas arrumadas atrás do balcão, dos lindos copos brilhando e da expectativa. Gosto de observar o homem preparar o primeiro da noite, depositá-lo sobre um porta-copos e colocar um pequeno guardanapo dobrado ao lado. Gosto de saboreá-lo lentamente. O primeiro drinque tranquilo da noite num bar tranquilo- isso é maravilhoso.”

( Raymond Chandler Рtradṳ̣o Maria Luiza X. de A. Borges )

GIMLET

1 gomo de limão
2 doses de gin
4/5 de dose de suco de limão siciliano
1/5 de dose de xarope de açúcar (para fazer o xarope ferva 1 parte de água com 1 parte de açucar em fogo médio, quando o açúcar começar a se dissolver, desligue o fogo e deixe esfriar)

Adicione o gin, o suco de limão e o xarope em uma coqueteleira cheia de gelo, bata bem, coe e sirva em um copo de coquetel, decore com o gomo do limão…

Ganhei neste Natal de meus queridos sogros o livro : “Guia de Drinques dos Grandes Escritores Americanos” de Edward Hemingway e Mark Bailey – Editora Zahar, uma coletânea de pequenos textos, receitas e histórias dos escritores norte-americanos apreciadores de bebidas como H. L. Mencken, William Faulkner, Ernest Hemingway, Hunter S. Thompson, Charles Bukowski e Edgar Allan Poe, entre muitos outros…
Raymond Chandler, por exemplo, dizia que o “Gimlet dá de dez a zero no Dry- Martini!!!” … eu acho que ele exagerou, porém façam a receita acima e tirem as suas próprias conclusões.

Reparem na foto o genial porta-guardanapos que meu cunhado Rafael, trouxe de Moçambique: CASA DAS LOIÇAS (escrito com I)… um abraço para ele que passa o fim de ano na Tanzânia e outro para o meu cunhado Rodrigo que trouxe-nos um vinho do Porto Branco, que o santo está até hoje agradecendo!!!

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *